quarta-feira, 28 de julho de 2010

Fila longa


Paciente do Rio espera dez anos por operação de redução de estômago
A auxiliar administrativa Bianca Soares da Silva, de 28 anos, inscreveu-se na fila do Hospital de Ipanema, para operação de redução de estômago, no ano de 2000, quando pesava 99 quilos. Dez anos depois, ainda na fila de espera, da qual fazem parte outras 5 mil pessoas, Bianca ainda não conseguiu fazer a gastroplastia. Em vez de perder peso, Bianca pesa, hoje, 153 quilos.

— Para pegar um ônibus, preciso entrar pela porta de trás. No ano passado, eles me chamaram, em 7 de abril, para fazer uma consulta. Em maio, o médico pediu todos os exames. Em setembro, finalizei esses exames. Disseram que iam ligar para mim, mas nada — diz Bianca.

Segundo Rosimere Lima da Silva, presidente do Grupo de Resgate à Auto-Estima a à Cidadania do Obeso(Graco), cujo cadastro contém mais de 4 mil pacientes de obesidade mórbida, a demora é generalizada.

— Faltam acomodações adequadas para receber os pacientes e profissionais nas equipes multidisciplinares para apoio aos pacientes — diz ela, lembrando que, no estado do Rio, além do Hospital Federal de Ipanema, somente o Hospital Clementino Fraga Filho (Fundão) faz esse tipo de operação gratuitamente.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Hospital de Ipanema acaba ficando sobrecarregado por falta de opções para esse tipo de cirurgia no estado. Segundo o ministério, existem cinco mil na fila de espera da unidade, sendo que a média de espera gira entre 3 e 5 anos.

Sobre o caso de Bianca, a direção do Hospital de Ipanema, que faz esse tipo de operações há 13 anos, informou que a paciente deverá ser submetida à cirurgia ainda este ano.

“A paciente não foi operada por não ter ainda todas as condições necessárias para se submeter à cirurgia”, completou, em nota, o ministério.

sábado, 19 de junho de 2010

Esse filme é o reflexão da realidade da obesidade mórbida!!
Vale apena assistir...
http://www.band.com.br/tribunalnatv/

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A irresponsabilidade da gastroplastia particular.

Todos nós sabemos do sonho de realizar uma cirurgia da obesidade, mas com já foi postado diversas vezes neste blog essa cirurgia é como um bilhete da loteria, da certo pra alguns, pra outros não, alguns chegam a meta outros não e no ato cirurgico pode dar certo ou pode se ter alguma intercorrência.
Vamos lembrar novamente os riscos dessa cirugia:

Fístula- Qd o grampo cirurgico utilizado para separar o estômago abre e vaza líquido para dentro do novo estômago. Por isso usa-se o dreno de 7 a 15 dias, dependendo do cirurgião. Fístula é a complicação mais grave e se não for diagnosticada rapidamente, leva-se a morte. A fístula pode ocorrer até o décimo dia após a cirurgia, depois disso não existe mais perigo. O tratamento é a correção com uma nova cirurgia.

Embolia pulmonar- São coágulos nas veias na parte dos membros inferiores, o motivo é pq ficam parados por muito tempo na cirurgia. Se esses coágulos forem levados até o pulmão também leva-se a morte.

Atelectasia- Falta de dilatação do pulmão.

Infecções- Da parede abdominal, dentro do abdomem, pâncreas, pulmões, esofagites, dobra do intestino.

Seromas- Gosrdura liquida abdominal.

Parada respiratória
Parada Cardíaca
Retirda do baço em caso de sagramento
Complicações com a anestesia
Brida ( dobra do intestino )

Sempre entramos em um centro cirurgico com a certeza de tudo dar certo, e se vc precisar ficar mais alguns dias no hospital? Vc acha mesmo que terão piedade de vcs e deixaram pagar depois? Hospital é como um comércio, vão arrumar um jeito de te darem alta e vc morrerá em casa e pior ainda obeso.
Eu sei o qt é dificil ser obeso, sofro isso até hoje, mas cuidado com sua decisão por impulso.

Complicações pós cirurgia:

Queda de cabelo
Mal estar
Tonteiras
Anemias
Dores Articulares
Vômitos e diarréias
Intolerância a certos alimentos
Síndrome de dumping
Hérnias
Gases
Dores no corte da cirurgia ( Qd a cirurgia é aberta )
Estenose

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Indice de separação após cirurgia da obesidade é muito alta.

Uma das mudanças da cirurgia é a auto estima e a liberdade com sua nova vida!

Nós mulheres qd saímos dos três dígitos, acabamos tendo coragem de encarar o espelho e achando que merecemos uma vida amorosa melhor e com isso somos radicais encarando a separação.

Para especialistas que acompanham os obesos após o procedimento, a mudança de parceiro tem se tornado tão comum que começa a ser tema de estudo. “Essa é uma cirurgia que mexe com as relações humanas. A pessoa muda muito e se tiver um casamento mais ou menos ele vai com certeza acabar”.

Em 2009 foi feito um estudo de caso com 20 mulheres que deixaram de ser obesas depois da cirurgia bariátrica. Metade delas tinha se separado. O resultado da pesquisa, que dará origem a um levantamento mais detalhado, foi apresentado no Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica realizado este mês em São Paulo.

O estudo dá prioridade ao comportamento das mulheres, porque somos nós, que passamos pelas maiores transformações depois da redução do estômago. “A mulher não consegue conviver com essa infelicidade agora que está se sentindo bonita e independente. O homem costuma resolver isso mantendo um relacionamento paralelo.”

Se conseguimos emagrecer pq não conseguir ser feliz no relacionamento?

Uma das amigas que deu aqui seu depoimento em 2007 se separou e iniciou um novo relacionamento.

Além da autoconfiança que chega com o emagrecimento, a mudança de rotina do casal pode contribuir para o fim do casamento. “Muda o menu, o tempo das refeições, os interesses. Se o companheiro não se adaptar, isso pode ser a gota d’água”.

Com 60 quilos a menos, ela passou a trabalhar, tinha menos tempo para a casa, para o marido e queria aproveitar a vida. “Seu ritmo mudou.” Ela engordou 45 quilos depois da primeira gravidez. Tentou a dieta da lua, do sol, do carboidrato, da sopa, e, como nada surtia efeito, se deu de presente a cirurgia em Julho de 2005. O divórcio veio dois anos depois. “Começou a aparecer e a se gostar. Passou a respeitar mais as suas opiniões”, afirma. “Agora ela decide, o que faz, ela tem opinião própria. Ela resolve sua vida.”Está novamente casada, amando e vivendo sua vida o que não fazia antes.

Agora seu ex marido é quem não aceita o término da relação, mais com ela mesma diz, não foi por falta de aviso.

Nunca é tarde para se ser FELIZ!!

Agora sua vida é mais leve após cirurgia de estômago, afirma.

LEI Nº 5418, DE 26 DE MARÇO DE 2009.

ALTERA A LEI Nº 5038, DE 6 DE JUNHO DE 2007, QUE OBRIGA HOSPITAIS, UNIDADES MÉDICAS DE ATENDIMENTO EMERGENCIAL E LABORATÓRIOS PRIVADOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A DISPONIBILIZAREM EQUIPAMENTOS ADAPTADOS AO ATENDIMENTO DE OBESOS MÓRBIDOS/ GRAVES.


O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, em exercício
Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Modifique-se a Lei nº 5038/07, acrescentando-se o Art.4º, renumerando-se os demais

“Art. 4º O descumprimento do disposto nos artigos anteriores acarretará na aplicação de uma multa de 1.000 UFIRs-RJ (mil UFIRs-RJ) ao estabelecimento infrator, acrescida de 20% em caso de reincidência.”(NR)

Art. 2º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, em 26 de março de 2009.

Agora vão começar as promessas de cirurgias bariátricas pelo SUS, sabe pq? Para ganhar seu voto, pq nós obesos mórbidos somos carentes, temos pressa, corremos contra o tempo e contra a morte, vale saber se vc se deixará ser ENGANADO NOVAMENTE, criar projetos de leis é facíl, dificil e fazer com que os mesmos sejam cumpridos pelo Executivo.
Não se deixe enganar!!

Diga não a obesidade!!!!

domingo, 6 de junho de 2010

Depoimento Mônica Innocêncio.


"Minha história com a obesidade vem desde a minha infância. Minha lembrança mais remota é de uma menina gorda sofrendo deboches na escola. Era a rainha dos apelidos maldosos. Penso que se toda essa informação sobre bulliyng que temos hoje, existisse naquela época, eu seria uma das vítimas mais costumeiras. Minha mãe vivia comigo de médico em médico fazendo tratamentos e sempre preocupada com minha saúde. Afinal aos 10 anos eu já pesava 70 quilos. Alguns tratamentos sempre davam resultados, mas a medida que o tempo ia passando, a danada voltava e lá estava eu de novo gorda. Na adolescência a obesidade se tornou minha pior inimiga pois me impedia de namorar. Me apaixonava pelos meninos mas eles não estavam nem aí pra mim. Eu era só a amiga, mais nada. Com 18 anos conheci as anfetaminas e com elas uma nova possibilidade de ser feliz. Comecei a tomar todo dia e emagraci 40 quilos em pouco mais de 3 meses. Me sentia linda, desejada...não ficava sem receber elegios e beijar na boca...rs. Tomei anfetaminas por uns 4 anos e aí os efeitos colaterais começaram a aparecer (ou eu comecei a me dar conta, sei lá). Estava depdendente deles, se parava de tomar um mês, engordava e voltava a tomar. Estava nervosa, agitada, arrumando confusão com todo mundo. Até que minha mãe me disse pra parar senão eu iria enlouquecer. Parei aos 22 anos e em pouco mais de 10 anos engordei 80 quilos. Casei com 27 anos e 110 quilos. A vida foi seguindo e minha saúde piorando. Sofria de hipertensão, diabetes, apneia do sono, dores nos joelhos...enfim...muitas doenças associadas à obesidade mórbida grau III, que era onde eu havia chegado. Aos 28 anos fui internada em uma emergência com uma pressão arterial de 300x200 e a médica que me atendeu usou 3 aparelhos de pressão diferentes pensando que estavam com defeito, tamanha era a discrepância nos valores. Depois de confirmada a pressão, ela virou pra mim e disse: "Olha, tenho 15 anos de profissão e já vi gente morrer de AVC com 220X190, agora você aqui assim, pra mim é milagre. Ou Deus tem um propósito na sua vida muito grande ou não te quer lá por cima de jeito nenhum...rs". Me aconselhou a procurar ajuda médica e a tentar emagrecer o mais rápido possível, pois se continuasse assim não viveria nem um ano mais. Fui transferida para uma UTI e saí de lá com 160X140 (ainda alta). Fui pra casa e comecei a pesquisar planos de saúde que me operassem. Passei a pagar um plano e me preparar pra fazer a bariátrica. Seis anos depois operei, com 34 anos e 141 kg. Meu IMC era de 58 e meu grau de obesidade havia passado de III para superobesidade. Desde então, já eliminei 60 quilos (havia eliminado 68, mas recuperei 8 devido a má qualidade da alimentação). Minha luta contra a doença é constante e percebo que esse passo foi definitivo. Sempre fui e sempre serei uma pessoas gorda. O que acontece agora é que ESTOU MAGRA. Mas minha cabeça continua gorda e se me descuidar posso ganhar peso novamente e colocar tudo a perder. Por isso, estou sempre em contato com a equipe que me operou e faço o acompanhamento anual. Brinco que me casei com a equipe e que agora só a morte nos separa...rs." Mônica Innocêncio Ribeiro

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Obesidade mórbida e infertilidade masculina.


A obesidade mórbida altera níveis de hormônios sexuais

No homem de peso normal, com índice de massa corporal ao redor de 25kg/m², existe estímulo normal das gônadas por hormônios vindos da hipófise (chamados de LH e FSH), que induzem produção de hormônio masculino (testosterona) bem como estimulam o amadurecimento das células que irão se desenvolver como espermatozóides. Ambas as funções testiculares (testosterona e espermatozóides) são independentes, isto é, vinculam-se a diferentes fontes de estimulação para atingirem patamares de normalidade.

A obesidade de grande porte, com índice de massa corporal acima de 40kg/m², é prejudicial para a fertilidade masculina. O obeso mórbido pode conservar a capacidade erétil, pode ter libido normal, mas tanto o teor de hormônio masculino quanto a quantidade de espermatozóides podem estar em níveis baixos. Isso leva o obeso a ser considerado como relativamente infértil.

Mecanismo da infertilidade do obeso mórbido

A secreção de testosterona é realizada por um grupo de células especializadas do testículo, chamadas de células de Leydig. Estas sob influência dos hormônios da hipófise (LH e FSH) são estimuladas a secretar testosterona. Por outro lado, os hormônios da hipófise são essenciais para o estímulo de células germinativas culminando em reserva normal de espermatozóides.

Para a fecundidade masculina há necessidade de que o número de espermatozóides a cada ejaculação atinja valores ideais. A testosterona também estimula a espermatogênese além de manter intacta a libido (desejo sexual) e o mecanismo de ereção. No entanto pequena porção da testosterona é transformada em hormônio feminino (estradiol) em condições normais. Tal fenômeno é realizado por uma enzima chamada aromatase. Quando o homem chega a peso muito acima do normal, acima de 140-160 quilos, e índice de massa corporal maior do que 40kg/m², elevam-se os níveis desta enzima aromatase.

Consequentemente maior quantidade de testosterona é transformada em estradiol (hormônio feminino). E assim, o excesso de estradiol irá bloquear a hipófise (diminuem os estímulos para o testículo produzir testosterona e espermatozóides). Além disso, o excesso de hormônio feminino (estradiol) pode induzir aumento de mamas, reduzir a libido, causar disfunção erétil e infertilidade.

O tratamento da infertilidade do obeso

É óbvio que o primeiro passo a ser dado seria a redução de peso por métodos clínicos (dieta hipocalórica, medicações apropriadas, exercícios aeróbicos) ou por opção a métodos cirúrgicos (cirurgia para redução de peso). Além disso, o médico pode usar medicamento que inibe a tal enzima chamada aromatase.

Este medicamento (anastrazol) bloqueando a aromatase irá impedir a conversão de testosterona em estradiol (hormônio feminino). Com a queda do estradiol a hipófise volta a funcionar produzindo LH e FSH, hormônios que estimulam os testículos a produzirem espermatozóides e testosterona. Em poucos meses, mesmo com perda de peso modesta de 10 a 20kg a nova configuração hormonal de queda de estradiol e maior secreção de hormônio masculino irá restaurar o vigor masculino e maior produção de espermatozóides.

Quanto ao problema do peso: o obeso mórbido tem a tendência a voltar a ser “muito gordo” com seguidos tratamentos clínicos e medicamentosos. Possivelmente a melhor opção, nas atuais circunstâncias, é considerar a cirurgia bariátrica para uma solução imediata do problema de grande excesso ponderal.

Hospital das Clínicas promove caminhada com obesos mórbidos.

Novo modelo de atendimento inclui resgate da auto-estima e incentivo à consciência social antes da cirurgia.

O Hospital das Clínicas de São Paulo, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, adota um novo modelo de atendimento aos obesos mórbidos para elevar a auto-estima dos pacientes, incentivando-os a cuidar do corpo e estimulando o convívio com pessoas que têm o mesmo problema.

Uma caminhada reunindo pacientes com obesidade mórbida do HC acontece mensalmente, nas imediações do hospital. A primeira aconteceu, 30 de outubro do ano passado.

Depois de caminhar, os pacientes são entrevistados pelos médicos e encaminhados para acompanhamento ambulatorial com a equipe multidisciplinar, composta por cirurgiões, enfermeiros, psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas, nutricionistas e professores de Educação Física.

“Muitos pacientes que estão aguardando a cirurgia bariátrica só acabam retornando ao hospital um pouco antes de serem operados. Essa atividade que estamos iniciando é uma forma de estimular o doente e estarmos mais próximos de suas necessidades”, afirma o chefe de Estudo da Cirurgia da Obesidade Mórbida do HC, Arthur Garrido.

A obesidade mórbida atinge cerca de dois milhões de brasileiros. O Hospital das Clínicas é pioneiro em cirurgia de obesidade grave e em pesquisas sobre esse ramo cirúrgico. Desde o ano de 2000 esse tipo de tratamento foi oficializado pelo Ministério da Saúde e incluído no Sistema Único de Saúde (SUS).

Obesidade mórbida do marido impede casal de adotar na Inglaterra.


Na Inglaterra, um casal foi impedido de adotar uma criança devido à obesidade do marido. Damien Hall, 37 anos, 1,85m e 156 Kg, com IMC de mais de 42, é considerado um obeso mórbido. Ele e sua mulher, Charlotte Hall, 31 anos, são casados há 11 anos e entraram com um pedido de adoção à prefeitura de Leeds depois de constatar que não poderiam ter filhos.


A solicitação, no entanto, foi negada. De acordo com a carta enviada pela prefeitura de Leeds ao casal, o pedido só poderá ser aceito se Damien baixar seu IMC para menos de 40. A justificativa é que, devido à sua obesidade, existe um risco de que ele possa ficar doente ou até morrer.


Em declaração à BBC Radio 5 Live, Damien diz que é difícil perder peso sob pressão. Ele afirma, também, que nem ele nem sua mulher bebem ou fumam, e que poderiam dar um lar feliz e seguro a uma criança. Charlotte diz que tanto ela quanto o marido ficaram chocados com a carta da prefeitura e que, apesar de ser obeso, Damien é bastante ativo. “Ele sai para caminhar com o cachorro ao menos duas vezes por dia.” Ela também defende seu pedido de adoção dizendo que o serviço de adoção não está pensando no bem da criança. “Nós estamos prontos para receber uma criança. E eles parecem estar dizendo que é melhor para ela ficar no orfanato caso, possivelmente, Damien morra.”

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Não é tão fácil assim!!

18/02/2010 - ele fez todos os exames pré operatório e o risco cirúgio foi de 1% meu filho era saudável apena apresentava apenas dor nos joelhos devido o excesso de peso tinha 1,85m e 176kl porém o imc era 50% ou seja tinha boa massa muscular não era um obeso flácido.Dr Acácio operou o Allan só e com 2 instrumentistas sem o segundo cirúrgião(que por motivos pessoais ñ pode comparecer)além do mais meu filho logo após a cirúgia em dieta 0 ficava o tampo todo cospindo e com ancia de vômitos,tentei ligar p o Dr Acacio e não conseguia ENCONTRA-LO o que me fazia ter que acionar os médicos de plãntao p atende-lo.Foi feito 2 tomografia a 1 dia 09 de maio um dia após a cirúgia que o resutado pneumoperitonio e ele falou que era normal.Começou a ter febre de 39 e leucócitos de 15000 ele precreveu uma dieta, Dr Augusto(endoscopista) ao retirar o cateter endoscópico,exalou odor fétido e presença de liquido de estase proveniente das alças intestinais o qual foi aspirado.O endoscopista(dr Augusto) que tbm é bariático sugeriu p Dr Acacio reoperalo com urgencia e ele disse que preferia esperar o Allan reagir dia 12 segunda tomografia q resultou em derrame pleural extenso peneumoperitonio(e a reop ocorreu dia 12 ás 15hs com o Allan já em sepse. Allan ficou 5 dias na UTI em coma induzido e teve òbito as 16;06 do dia 17 de choque septico.Dr Acacio esta sendo indiciado por Homicídio culposo e tenho fé em Deus que a justiça será feita é uma questão de tempo.Obrigada pela Atenção Ana Lúcia Mãe do Anjo Allan... Ana Lucia Barbosa Ana Lucia
Ana Lúcia

Governo americano lança campanha polêmica contra a obesidade.


Preocupado com as refeições rápidas e com o excesso de casos de obesidade, o governo americano lançou uma campanha de alimentação que causou polêmica nos EUA.

Obesidade existe até no mundo animal.

Estudo liga obesidade a câncer de próstata agressivo.

O tamanho de um tumor cancerígeno de próstata é diretamente proporcional ao peso do paciente. E quanto maior o tumor, mais agressivo o câncer, revela o estudo.

Nilesh Patil, do Henry Ford Hospital, em Detroit (EUA), principal autor do estudo, diz que "à medida que aumenta o índice de massa corporal do paciente, o volume do tumor aumenta de modo sincronizado".

– Baseados em nossos resultados, acreditamos que ter um volume de tumor maior pode contribuir para a natureza agressiva da doença em homens com um índice de massa corporal mais elevado.

Os pesquisadores estabeleceram a relação após analisar os casos de 3.327 pacientes que passaram por cirurgias feitas com robôs para a retirada de tumores na próstata. O estudo foi apresentado durante a conferência anual da Associação de Urologia dos Estados Unidos, que acontece em San Francisco.

Vinagre combate diabetes e obesidade.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Esquisitices

Lá se vão quase 1 ano e meio de interdição estomacal. Sou um azul graduado nesta história e hj em dia tem pintado muita conversa em torno do q tenho feito para seguir nesta fuga. Em posts antigos* eu sempre tive uma posição muito crítica com o comportamento de paciente com PhD em medicina.
É fato q qquer pessoa com mais de um neuronio pesquisaria bastante antes de realizar uma operação invasiva e espontânea como a é a gastroplastia. Sim, depois do procedimento esta pesquisa se aliaria a vivencia e consequentemente, o desenvolvimento de práticas e repertório das mais variadas formas de comer, engordar, emagrecer e tudo mais q vai pelos domínios da fuga e do retrocesso a gordolandia.
Aos poucos vc pode estacionar entre a neurose e a entrega. Ser chato não tem como deixar de se-lo. A escolha é ser manifesto ou ocluso.
O operado chato manifesto, incomoda de cara. Enche o saco com o papo de alimentação, exercícios e fatos de sua condição. Sabe tudo de dumping, dos cuidados com a alimentação e seu repertório de atividades físicas para evaporação de bacon. O perigo deste estado de chatice é a e a ejactação. Saber q no fundo o estado de baleia encolhida é quase uma liofilização, em q basta por um pouco de preguiça e comida e a baleia seca, infla e voilá: volta a ser baleia.
Uma baleia é uma baleia, compreende?
Eu tento usar este blog como descarga destes sentimentos e falas bestas sobre como usar o estomago anão para fugir da gordolandia. Eu me esculhambo e relativizo estas pretensas vitórias, a fuga é cruel, se vc não se mantem em movimento, ela rapidamente pára e retrocede.
Uma boa imagem para o emagrecimento seria tal como subir um andar, por uma escada rolante q desce em sentido contrário a esta subida. Para chegar lá no alto, vc tem q subir sem parar ate o final. O descanso se rolar, tem de ser ativo, para ficar parado na escada, vc tem de se manter em movimento, pois se parar vc desce. E lá embaixo é o lugar q vc não quer ficar.
O chato ocluso é o gordo q estaciona, retrocede e quer se convencer de q isso é normal. Sem mais nada a dizer sobre este tipinho, prossigamos.
Claro é q sendo manifesto, vc aos poucos tbém vira referencia desta fuga. Conhece outros fugitivos. Vira uma confraria. Aos poucos perguntam métodos e normas, e é bem estranho como os estranhos se estranham. Neste blog já falei de inúmeros relatos de como tem sido dificil conviver com uma dieta restrita e admito xiita como a minha. Apesar de achar, q eu de maneira alguma a advogo ou prego, sempre me vejo tendo de explicar pqS da minha opção.
Conversando com uma fugitiva outro dia, ela estava aflita com o atrator da gordolandia. Sua fuga estava estacionada e começando a retroceder.
Logicamente, tudo vem nessa vida de muitas camadas, dentro de um unico pacote. Se a vida é sua, o pacote é vc. somos análogos a uma cebola. Não vale chorar agora!
Sim, o mundo no entorno é cruel, políticas, eleições, seu time em crise, TPM das mulheres ao redor, engarrafamentos, meses maiores q nossos salários. Comerciais do outback, baconzitos, minibis e das macofertas. Tudo conspira para vc abdicar da dieta só por hj. A promessa do gostoso sempre é tentadora. Nada te ajuda. Nada. Q tal cultivar a gula por fastbooks da LPeM? To atras de tudo do velho Buko. Se for pra comer q seja o Misto Quente com vinho vagabundo do Chinasky.
Ta com saudade de vidas passadas? Te sugiro pegar um carrinho de compras, preferencialmente sabado a tarde, num supermercado tarja preta popular. Mercado cheio, encha o carrinho de compras com fome de recordações. Pacotão de arroz, sacos de macarrão, amarrado de 12 litros de refrigerante bola sete, uma garrafa de whiky Professores, papel higienico, pinho sol, 4 a 6 peças de fraldinha, duas ou tres barras de chocolate, pães, pomarolas, queijos, ovos, farinha de mesa, sabão em pó. Mercado cheio, fila de frios, 1Kg de mussarela fatiada e um kilo de presunto, 1Kg de salsichão e outro de salsicha. Rode pelo mercado. Engarrafamento de carrinhos, filas imensas. Outros habitantes da gordolandia, geralmente em torno das baias com provinha. Café de graça.
O requinte de crueldade é agora, estime o preço desse carrinho, pense no q falta. dois Kg de batatas, dois vidros de maionese, 6 pacotes de creme de leite, batata palha, champignon, 2Kg de peito de frango, leite em pó, leite condensado, nescau. Acho q era esse um carrinho padrão em 2007/2008. Duraria aí uns 10 ou 12 dias. estimo hj em 300 pilas. O mes com 30 dias, só com comidinha daria uns mil reais de comida. Pra mim.
Na fila do Supermercado, muita gente, deixo meu carrinho de vidas passadas e vou pra Pedra Bonita caminhar e justificar o gatorade q vou beber depois. Estamos em 2010 manter a fuga tem sim suas recompensas.
--------------------
* antigo na web pode ser algo com mais de um dia ou um ano. Com o twitter pode rolar até mesmo uma antiguidade instantanea. Welcome to this brave new world!

Primeiros passos para cirurgia.

√ Marcar a consulta com cirurgião.
√ Participar do curso pré-operatório.
√ Realizar todos os exames.
√ Realizar a avaliação de risco cirúrgico.
√ Avaliação pré-operatória com psicóloga, nutricionista e endocrinologista.
√ Retornar ao consultório com o cirurgião.
√ Marcar a data da cirurgia.
√ Comprar tudo que for necessário para a cirurgia
√ Realizar a Cirurgia.
√ Fase de recuperação.
√ Fase Líquida.
√ Fase Sólida.

E acompanhamento, NUTRICIONAL E PSICOLOGICO e ser FELIZ!!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Depoimento Alfredo Salomão.


Hoje me lembro sem saudade nenhuma do tempo em que sofria pra subir a escada do metrô, do medo que tinha das cadeiras de plástico de bares, da dureza que era dividir um banco no ônibus, do medo que tive de ficar entalado na ressonância magnética.

Hoje, 1 ano e meio depois com quase 70 kg a menos tenho a certeza de que ter operado foi uma sábia decisão, mas tenho uma dúvida: será que estaria vivo se não tivesse operado? na época eu já estava com pré-diabetes e pré- cirrose.

Antigamente, eu era radicalmente contra a idéia de operar, isto pelos riscos que toda e qualquer cirurgia representa. Mas no final de 2007, tive meu primeiro encontro com o mundo dos gastroplastizados e vi que as pessoas estavam bastante satisfeitas com os resultados obtidos.

Naquele momento, eu começava a cogitar a hipótese de operar, mas não podia assumir isso, pois minha ex namorada estava fissurada pra operar e eu não queria qie ela operasse por causa dos riscos de uma cirurgia.

Fui na primeira consulta dela com o objetivo de faze-la desistir. Após o Dr Fábio falar percebi que continuar obeso seria muito mais arriscado do que operar e marquei minha primeira consulta uma semana depois.

Tive uma batalha em casa, pois meus pais eram contra, achavam que eu iria emagrecer com dietas. Pense em uma, eu já fiz. Já tinha tentado todas que você imaginar e perder 70 kg não é como perder aqueles 10 kg que você precisa pra ficar bem no verão.

A batalha em casa durou alguns meses, estava com tudo pronto para operar em maio de 2008 e tive que refazer todos os exames e só fui operar em outubro de 2008 pela resistência dos meus pais a idéia. Dr Fábio me disse: " Só te opero quando seus pais concordarem". Na época fiquei revoltado, hoje entendo bem os motivos dele ter tomado essa decisão.

Enfim, mesmo fazendo todos exames duas vezes, tudo valeu a pena e hoje estou com quase 70 kg a menos, com muito mais saúde e qualidade de vida.

Depoimento R.G ( Rodrigo Alves Gomes )


Já nasci com problemas de obesidade. Vim ao mundo com 4,9 Kg e 54 Cm. Quase matei mamãe. Também, culpa dela... Engordou 40 Kg durante a gravidez. Sempre tive problemas com a balança na infância. A primeira dieta foi aos 9 anos. Olha o drama, dizer a uma criança que não pode comer aquelas coisas gostosas que vende na cantina da escola. Um sofrimento. Consegui emagracer. Foram 11 Kg a menos. Claro que depois o efeito sanfona chegou e engordei tudo e mais um pouco. A segunda dieta foi aos 15 anos. Essa veio acompanahada das anfetaminas. Emagreci 30 Kg. Sequei. Era paquerado por toda a escola. Deixei de ser o gordo CDF e passei a ser o MAGRO INTELIGENTE. Não preciso dizer que o tal efeito apareceu e egordei o dobro. A terceira dieta foi aos 24 anos. Essa sem remédio. Foi só boca. Pesava 110 Kg e cheguei aos 73 Kg. Consegui manter o peso por quase 2 anos. Daí por diante em 6 anos cheguei aos 135 Kg.
Realizei a cirurgia bariátrica dia 15/09 no hospital São Lucas na
cidade do Rio de Janeiro. Da consulta a cirurgia passaram-se 2 meses.
Nesses meses realizei todos os exames, fui as palestras, ao
endocrinologista, a nutricionista e a psicóloga. Todos os profissionais
da equipe de meu cirurgião. Os exames são chatos e muitos. São eles:
Laringoscopia, polissonografia, ultrassonografia, eco-doppler(coração e
trombos), análises clínicas, prova de função pulmonar, raios x do tórax e
da face, eletrocardiograma(risco cirúrgico), ressonância magnética e
etc... Posso ter esquecido algum. A equipe é maravilhosa. Estou muito
feliz. A cirurgia deve ser realizada por um bom profissional. E cabe nós
termos responsabilidade total com pós-operatório. Passaram 8 meses da cirurgia e já acancei a meta. Emagreci 55 Kg. Sigo fielmente a dieta e faço exercícios diariamente.
Estou muito feliz e saudável. Acabou a
hipertensão, colesterol e triglicerídeos altos, pré-diabete etc... Agora
vem o mais difícil que é manter o peso. Mas, se Deus quiser eu vou
conseguir! Como de tudo. Porém tudo com orientação da nutricionista.
Saúde sempre!!

Meta Batida: 79,8 Kg, manequim 40 e 9 meses sem fumar.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Na hora H.

Se você é uma gordinha que na hora H fica com vergonha por causa daqueles pneuzinhos ou quilinhos a mais pode "desencanar" e ter a concientização de que é a única a se preocupar com isso! Aliás, se essa é a sua preocupação, fique atenta pois esse pensamento sim atrapalha o desempenho sexual.
Lembre-se sempre de que sua maior inimiga na cama pode ser você mesma com seus tabus e preconceitos. As mulheres infelizmente se preocupam com os padrões de beleza que muitas vezes pra elas são completamente diferentes que pra eles.
Mulheres, lembre-se que homem só se preocupa com o desempenho na cama, que pra eles se somos gordinhas ou não o que importa é o prazer que oferecemos na famosa hora H. A nossa timidez e inibição impede de proporcioná-los aquele verdadeiro orgasmo.
Por isso o que vale é você não ter vergonha de seus pneuzinhos.

sábado, 8 de maio de 2010

Ajuda Mútua.

Quando pensei em criar esse blog foi com a intenção de passar a todos tudo aquilo que sentia antes e que sinto hoje como uma ex obesa mórbida, uma gastroplastizadas, seus pós e seus contra, mas as vezes fica dificil, uma virgula colocada em uma frase pode ser um super problema, já que sou perseguida por pessoas que não conseguem admitir o sucesso da minha felicidade, eu não me importo, pq sou quem sou e já mais mudarei e pra ser bem sincera gosto da maneira que sou, mas por outro lado isso pode trazer algum problema para quem convive comigo, nossa felicidade encomoda e muito. sendo assim não deixe que o foco desse site se apaguei, me ajude a ajudar que não Conheça a gastroplastia, se vc quiser enviar seu depoimento envie para:aurea.bekman@gmail.com se preferir seu nome poderá ser preservado.
Tenho certeza que vcs têm muito que ajudar.

Beijos no coração de todos!!

DIGA NÃO A OBESIDADE!!

terça-feira, 4 de maio de 2010

As diferenças !!


Como é do conhecimento de todos, sou uma pessoa completamente ativista em relação a gastroplastia e luto para que seja obrigatório a cirurgia pelo SUS, não só no papel como é e sim funcionando como tem que ser.
Sou operada a 4 anos e não cheguei ao peso ideal e vcs devem estar se perguntando, como alguém pode ser ativista de uma situação se ela não é o exemplo vivo dessa mudança? Ai que entra a grande polêmica, todos somos diferentes e talvéz quem tinha o peso que eu tinha e ter o peso que tenho hoje seja pra mim uma grande vitória, isso não quer dizer que seja o ideal.
Saí até do orkut, só assim não preciso ficar batendo boca com pessoas que acham que são donos da verdade, não pq não queiram o nosso bem, mas sim não sabem lidar de maneira civilizada com o assunto.

Toda participação eficaz de um grupo depende da forma de como os membros do grupo convivem com as diferenças interpessoais.

E como funciona essa diferença? Mais do que a diferença na aparência física, consiste em saber lidar com pessoas diferentes na forma de pensar, sentir e agir.

Você já parou para pensar em como é a forma que você se relaciona com as pessoas ao seu redor? O que você espera delas? O que essas pessoas esperam de você? O que você espera de si mesmo?

Muitas vezes esperamos tanto dos outros que freqüentemente nos sentimos frustrados qd não procedem da forma que gostaríamos. Isso ocorre porque nos relacionamos com as pessoas partindo de nossas próprias referências pessoais. Então, por exemplo, se penso que tomar uma cervejinha me da uma satisfação, isso não quer dizer que vc tenha que pensar da mesma forma. Só que nem sempre isso acontece, o que me revolta e afeta minha relação com algumas pessoas é por acharem que tenho que ser como elas são. Mas, será que o outro é obrigado a atender às minhas expectativas? Quem me garante que isto ocorrerá sempre? A base para começarmos a lidar com outras pessoas de forma eficaz é nos conscientizarmos que:

AS PESSOAS SÃO DIFERENTES SIM.

Cada pessoa é um ser único no mundo, com uma história de vida própria somente por ela experimentada. Você já parou para pensar que ninguém pode sentir o que você sente, da forma como voce sente ? A sua alegria é só sua, a sua dor e tristezas são só suas. A forma como você enfrenta uma perda, por exemplo, é diferente da forma de outra pessoa. Nós somos seres singulares neste mundo, nem os gêmeos pensam e sentem de forma igual. Muitas de nossas dificuldades nas relações são justamente porque esperamos que o outro aja conforme nós agimos. Quando encontramos alguém parecido conosco, que alegria! Esse encontro nos traz satisfação e reconhecimento. É ótimo nos relacionarmos com uma pessoa que pensa de forma semelhante à nossa. Mas, quando o contrário acontece, que desastre! Entramos em conflito. Como vamos "corrigir" esta outra pessoa? Como vamos conviver com ela?

Se realmente você entende que o outro é diferente de você, esse conflito será tratado nas suas devidas proporções. Então, as atitudes dos outros não terão o peso de serem da forma como você espera. Por exemplo eu não gosto de comemorar meu aniversário com festas, mas adoro realizar festas de aniversários para meus familiares e não permito que não se comemore por mais incrivel que isso possa parecer.

Antes de compreendermos e aceitarmos a diferença do outro, devemos compreender e aceitar a nossa própria diferença. Devemos também não nos culpar por não sermos como o outro quer que sejamos. Devemos reconhecer que podemos errar, que somos limitados e que não atenderemos sempre ás expectativas dos outros. Assim, começamos a perceber que não é difícil conviver com o diferente, mas e difícil pararmos de agir com o outro como se esse outro fosse nossa extensão ou como se fosse nós mesmos.

Por isso a GASTROPLASTIA tem um resultado diferente para cada um de nós, o importante é vc aceitar que mesmo com as diferenças felicidade existe, mesmo que não tenhamos alcançado a meta!!

Depois de tantas dificuldades com a obesidade ainda temos que ficar preocupados com o que o outro pensa da gente em relação a gastroplastia?

Aceite as diferenças e viva em harmonia!!


DIGA NÃO A OBESIDADE!!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Quem é indicado a cirurgia?

Primeiro, é fundamental saber para quem o procedimento será realmente benéfico. A indicação é clara: pessoas com obesidade mórbida (IMC acima de 40 kg/m2) ou com IMC entre 35 e 40 e doenças associadas à obesidade. Os candidatos à paciente também devem ser obesos há, no mínimo, cinco anos e terem passado por outros tratamentos clínicos sem sucesso, resume o gastroenterologista Thomas Szegö, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein e Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

O médico nutrólogo Fernando Chueire, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), reforça, porém, que nem todos os obesos que se encaixam nesse perfil estão aptos a realizá-la. A idade também pesa na hora da decisão. De 18 a 50 anos é a faixa ideal para se submeter à redução do estômago. Entretanto, pacientes entre 16 e 18 anos podem ser operados em situações especiais, quando a obesidade ou as alterações orgânicas associadas a ela estiverem ameaçando a saúde do adolescente — e após acordo do médico com a família. Acima de 50 anos, cada caso deve ser avaliado individualmente e encarado como uma exceção. Nesta idade, há condições clínicas que podem tornar a cirurgia mais arriscada do que a própria obesidade do paciente.

Vontade x Necessidade
O processo de escolha é altamente rigoroso e inclui desde avaliação psicológica(normalmente os especialistas recomendam duas sessões semanais de psicoterapia dois meses antes da operação) até a redução de peso. Isso mesmo: redução antes da redução.
Seria o certo, mas nem sempre é assim.

Os candidatos devem passar por uma preparação que inclui a eliminação de 10% do peso máximo que o paciente já apresentou em toda a sua vida. Este emagrecimento antes da cirurgia tem o objetivo de facilitar tecnicamente o procedimento cirúrgico e evitar as possíveis complicações durante e após a operação.

Segundo o Departamento de Cirurgia Bariátrica da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (ABESO), um dos recursos para essa redução urgente de peso é a técnica do balão intragástrico. Feito de silicone, ele é colocado vazio por meio de endoscopia no interior do estômago e então é preenchido com uma solução líquida (soro fisiológico + corante azul).

O recurso é temporário, pode permanecer no organismo por no máximo seis meses, e tem a função de, neste tempo, causar a sensação de saciedade e diminuir o volume de comida ingerida. O balão consegue uma perda de 10 kg a 15 kg.

Outro passo importante antes, para reduzir permanentemente o estômago, é a realização de uma série de exames, entre eles os laboratoriais (glicemia, colesterol, triglicéride, pressão arterial, dosagem de vitaminas), a ultrassonografia abdominal e pélvica e a endoscopia digestiva.

Informações precisas sobre o estado de saúde do paciente são fundamentais para que a operação seja um grande sucesso. Só depois dos resultados e da correção de qualquer anormalidade que possam atrapalhar o procedimento cirúrgico (ou seja, altos níveis de açúcar, triglicéride e colesterol no sangue ou a presença de anemia, diabetes, insuficiência renal e pedras na vesícula), é finalmente tomada a decisão.


A OPERAÇÃO NÃO É UMA VARINHA DE CONDÃO, NÃO FAZ MILAGRE. MUITO DO RESULTADO DEPENDE DE VOCÊ. TEM QUE FAZER ACOMPANHAMENTO MÉDICO, NUTRICIONAL, PSICOLÓGICO, TER MUITA CORAGEM E DISCIPLINA.

Gravidez pós cirurgia bariátrica.

Mulheres submetidas à cirurgia bariátrica:

O aumento da fertilidade pós-operatória, a suplementação nutricional, segurança da gravidez após cirurgia bariátrica e efeito da gravidez sobre a perda de peso pós-operatória. As mulheres em idade reprodutiva correspondem a quase 50% dos pacientes submetidos à cirurgia bariátrica. As cirurgias disabsortivas, restritivas ou tipo diversão pancreática podem levar a deficiências de ferro, cálcio, tiamina e a má absorção de gorduras, vitaminas lipossolúveis e vitamina B12.

Devido a essas deficiências, em teoria, tanto a mãe como o feto estão sujeitos a doenças como parto prematuro, baixo peso do feto ao nascer, osteomalacia materna, retardo mental do feto e defeitos do tubo neural. As mães submetidas a cirurgia de Capella podem apresentar obstrução intestinal devido à compressão intestinal causada pelo útero em crescimento. Foram descritos na literatura nove casos de morte por obstrução intestinal por esta causa. Sheiner et al. estudaram 298 partos em pacientes anteriormente submetidas à cirurgia bariátrica em Israel, não sendo descritas má formação ou qualquer outra anormalidade nessas crianças ao nascimento. Outros estudiosos recomendam que a gravidez ocorra pelo menos um ano após a cirurgia, pois esse é o período de maior perda de peso e, portanto, a gravidez pode ser prejudicial à mãe e ao feto.

Em conclusão, sugerem-se as seguintes recomendações a mulheres em idade reprodutiva submetidas à cirurgia bariátrica:

a) promover algum método contraceptivo nos primeiros 12 a 18 meses após a cirurgia;

b) acompanhamento nutricional e suplementação vitamínica no pós-operatório;

c) suplementação vitamínica diária durante a gravidez, além da suplementação de ferro, cálcio e proteínas (60 g diárias);

d) ficar atento ao risco de obstrução intestinal na mãe durante a gestação, sendo que a tomografia pode ser útil no diagnóstico;

e) acompanhar rigorosamente as alterações do peso da paciente tanto durante a gravidez como no pós-parto;

f) esclarecer os obstetras sobre o alto risco da gravidez nessas pacientes submetidas à cirurgia bariátrica.

CONSULTE SEU CIRURGIÃO E TENHA MAIS INFORMAÇÕES!!

Emagrecimento


"Eu venci!"
Depois de anos convivendo com a obesidade, Soraia Duduss Alarcon, 31 anos, colocou um ponto final no vaivém da balança. Eliminou 52 kg através da cirurgia de redução de estômago e passou a escrever uma nova história: a de sucesso!

por Shirley Santos fotos: Caio Mello

A "Saquinho de ossos". Era assim que Soraia costumava ouvir sua mãe chamá-la. A preocupação com a então menina que tinha dificuldade de engordar (isso mesmo, engordar!), era tanta, que desde cedo começou a tomar vitaminas do complexo B e outros fortificantes para "abrir" o apetite. "Em casa, as refeições eram sempre saudáveis, mas depois eu me rendia às caixas de bombons", relembra. Até então, nem os doces eram capazes de "ameaçar" sua boa forma. Mas aos 15 anos... "Com a revolução dos hormônios na adolescência, todo o esforço para adquirir peso veio à tona e engordei 19 kg em quatro meses", relembra.

O susto foi grande. A solução encontrada? "Comecei a caminhar três horas, diariamente, no parque da cidade. Além disso, incorporei ao meu cardápio o suco de laranja. No entanto, não era simplesmente para acompanhar as refeições. Era o dia inteiro! A bebida substituía o meu café da manhã, o almoço, o lanche e o jantar. Não tinha a mínima noção do risco que tal conduta representava à minha saúde", confessa.

A partir desse momento, ela passou a conhecer os percalços de uma dieta descontrolada, na qual todas as tentativas para afinar acabavam sempre em frustração. E quem não conhece o martírio do efeito sanfona? Pois Soraia o vivenciou. "Por vários anos vi o ponteiro da balança alternar, sem conseguir me desvencilhar da comilança. Tentava, inutilmente, emagrecer com regimes que só surtiam efeito por algum tempo. Um desastre!"

A situação tornou-se ainda mais delicada quando, anos mais tarde, ela teve que deixar a casa dos pais para cursar a faculdade de Direito. "Morando sozinha foi ainda mais complicado conter a compulsão alimentar. A necessidade de ser prática, em razão da falta de tempo para preparar as refeições, fez com que eu extrapolasse e colocasse todas as guloseimas existentes na geladeira", conta.


" É preciso ter coragem para reescrever a sua história. Foi assim que eu consegui vencer a obesidade"

Lá vai o ponteiro... Saborear, sem limites, todas as doces delícias teve um preço amargo. "Estava insatisfeita com a minha imagem. Meu jeans 'insistia' em não servir e, vez ou outra, ainda tinha que ouvir a famosa frase 'você precisa perder uns quilos hein?!'. Sentia-me desanimada. Era um verdadeiro drama!", revela.

O sobrepeso, no entanto, não impediu o curso natural da sua vida. Concluiu a faculdade e, aos 23 anos, se casou. Na ocasião, ela pesou exatos 88 kg. "Além destes, mais 31 se somaram. Cheguei aos 119 kg na primeira gravidez. Um absurdo! Na fase da gestação engordava até 'com ar'. Um desespero para mim e os médicos que me assistiam." O saldo final? "Felizmente, tudo correu bem e consegui emagrecer 23 kg após esta gestação", conta.

Soraia só não contava que após o nascimento da primeira filha, os estratosféricos 119kg voltassem, fruto de uma segunda gravidez. "Na época, minha pequena tinha apenas 1 ano e meio. A consciência para não engordar nesta gestação era grande, mas o meu apetite foi bem maior. No auge da gula, cheguei a devorar um lanche de baguete, três brigadeirões e litros de refrigerante!", exclama.

O estímulo que faltava O desejo de colocar um ponto final nos três dígitos e na história do "engorda-emagrece- engorda", foi impulsionado com um exemplo bem próximo. "Em 2006 minha irmã que pesava 135 quilos submeteu-se à gastroplastia. Um procedimento que eu, a princípio, criticava. Como a acompanhei no processo de recuperação, percebi que o 'sacrifício' dessa cirurgia consistia em controlar as porções ingeridas, sem exageros. O fato é que ela ficou fantástica. Linda de viver e, o que é melhor, comia muito bem. Vêla, alimentando-se como uma pessoa magra, me fez pensar...'é isso que eu quero'".

Soraia resolveu, então, procurar o médico da irmã. "Nesta primeira consulta compreendi que a dificuldade em emagrecer não estava ligada à minha falta de determinação. Soube que o organismo de uma pessoa obesa tem uma dificuldade natural para reduzir peso. Enfim, não era somente 'culpa minha'".

Decidida e munida do apoio da família, se submeteu à cirurgia. "Encarei todo o processo com bom humor. Até mesmo quando, semanas após a intervenção, tive que me conter perante a maravilhosa ceia de Natal e me contentar com uma singela garrafinha de gatorade", brinca.

Descuidar, nem pensar! Quando o assunto é bem-estar, Soraia fala sério. "Em julho deste ano, a cirurgia completa um ano e meio. Confesso que me sinto cada vez mais consciente dos cuidados que preciso ter com a manutenção do peso e, sobretudo, com a minha saúde. A cada três meses realizo exames preventivos, os quais, aliás, estão excelentes. Sou muito regrada com a alimentação. Reaprendi a me alimentar e não excedo em quantidade, gorduras e açúcares. Aliei ao meu dia-a-dia os exercícios físicos, que só me trazem benefícios", ensina.

A autoconfiança que adquiriu após a gastro é tanta, que às vezes fica até difícil "se segurar". "Tenho um orgulho imenso em mostrar, para quem quiser ver, as duas fotos que guardo na bolsa do 'antes' e 'depois' do emagrecimento", diz sorridente e conclui: "Minha vida ganhou novo fôlego! Sou uma pessoa mais feliz e completa".

terça-feira, 27 de abril de 2010

Marque essa idéia.



Dobradinha 2010:

ANO DA CAPTAÇÃO DE ORGÃOES

E

OBRIGATORIEDADE DA GASTROPLASTIA PELO SUS!!

A triste realidade.



Essa é a triste realidade de quem precisa de um cirurgia de redução de estômago e não tem condições financeiras para arcar com algum plano de saúde e realizar o tão esperado sonho.
Vc sabia que existe uma lei aprovada Pelo Deputado Estadual Pedro Fernandes do PMDB.
20070300241- 23/03/2007. QUE OBRIGA HOSPITAIS, UNIDADES MÉDICAS DE ATENDIMENTO EMERGENCIAL E LABORATÓRIOS PRIVADOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A DISPONIBILIZAREM EQUIPAMENTOS ADAPTADOS AO ATENDIMENTO DE OBESOS MÓRBIDOS / GRAVES. ? Pois é, mais onde isso é cumprindo? E pior vão alegar que quem fiscaliza as leis são os Executivos junto com a comissão de saúde, onde o Governador é a principal chave desta questão.
Um obeso que passe mal hoje, tem como ser atendido? Mais existe a lei e como proceder?
Pensem, reflita, corram atrás dos seus direitos, obesidade é a maior causa de morte, perdendo apenas para acidentes de carro.
Agora é época de eleição e promessas e promessas serão prometidas.

Vote com consciência, se vc hoje não precisa, muitos ainda precisam.

DIGA NÃO A OBESIDADE!!

Ansiedade II


Continuando o assunto abordado anteriormente, a ansiedade.

Um terço dos obesos qd procuram um profissional com o objetivo de emagrecer e pq apresenta transtorno compulsivo por comida, ou seja ingere exageradamente alimentos.

Qd ocorre esse tipo de descontrole o alimento é a válvula de escape para amenizar um problema psicológico não foi resolvido.

Hoje em dia as pessoas estão fugindo cada vez mais dos seus problemas cotidianos, encontram-se sem força para enfrentar a realidade.

Claro que nem todos reagem desta forma. Existem fatores de predisposição genética individual, biológico, sócio-cultural e como não poderia faltar a familiar.

Atualmente nos consultórios psiquiátricos estima-se que 50% dos pacientes tem transtorno comupulsivo por alimentos e apresentam como causa principal a depressão.

Qd há depressão é pq houve alguma causa especifica que desencadeou essa reação. Geralmente os principais problemas relacionados são problemas com cônjuge ou namorado ou noivo ou pais ou filhos. A situação financeira, problemas no trabalho ou ainda desemprego são causas frequentes. Não ter um companheiro (a) pode também levar a solidão que é um sentimento bastante depressivo. A ansiedade antecipatória também é uma grande vilã.

Com isso percebemos que os problemas emocionais que comandam a mente e o corpo. São emoções pertubadoras fortíssimas: Raiva, medo, ansiedade, culpa, vergonha, tristeza, timidez, mágoa e várias outras.. Essas pertubações promovem conexões cerebrais caóticas evitando que possamos raciocinar.

Toda pessoa com uma emoção negativa acha-se incapaz de ser competente para emagrecer, isto é, controlar seus impulsos de comer. Ela está com a auto-estima fraca, consequentemente o humor fica deprimido e se come mais mesmo sem fome para compensar a frustação.

Hoje em dia cresceu muito o medo de assalto, de sequestro de violência, fazendo que fiquemos mais apavorados.

Toda pessoa com transtorno compulsivo vive fazendo dietas, pq há uma variação de peso muito intensa. Normalmente procura novidades em emagrecimentos, mas nunca adere a nenhum tipo de dieta e muito menos pratica de exercícios físicos, qd não a dieta começará sempre na segundas feira. rs

A vida é de momentos bons e momentos ruins, a felicidade é a melhor forma para caminharmos. Todos nós enfrentamos problemas e eles têm que serem resolvidos, qd não são resolvidos, a tendência é que a compulsão aumente.

Vivemos culpando as situações desagradáveis e compensando com a compulsão pelos alimentos e claro que fatalmente adquiremos a maldita OBESIDADE.

Todos nós devemos rever nossas situações e encararmos os diversos problemas com prevenções, não fique com vergonha de pedir ajuda a um profissional, afinal de contas é difícil mesmo a luta do dia a dia.

DIGA NÃO A OBESIDADE!!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Ansiedade


Tem exatamente 01 mês que venho passando por um problema pessoal desagradável, um dos meus animais de estimação encontra-se muito doente: lipidose hepática, como já postei anteriormente.
Neste período percebi o quanto estou ansiosa, e pior, como não estou conseguindo segurar a ansiedade e com isso minha alimentação está péssima.
A ansiedade é uma sensação inexplicável que provoca sintomas diferentes em cada pessoa, alguns sentem falta de ar, muito nervosismo, problemas digestivos ( gastrite, prisão de ventre, enjôos, gases fome exagerada a chamada gula, vários tipos de medos, insegurança, irritados, provocando brigas e discussões por nada, ingestão EXAGERADA de bebidas alcoólicas ou calmantes e vários outros fatores.
A manifestação do sintoma incomoda tanto que o ansioso procura qualquer forma para acabar com essa pessíma sensação.
Para um obeso em recuperação ( gastroplastizado )é ainda pior, ele tenta comer em excesso só que como seu estômago não suporta tal quantidade o vômito é fatal ou infelizmente recorre-se a maldita bebida alcoólica e com isso acaba provocando outros problemas de saúde.
A ansiedade é um problema tão sério que o ansioso pode desencadear sindrome do pânico, quando se tem medo de tudo, tipo dirigir, acha que a qualquer momento pode-se morrer, faz uma infinidade de exames em diversos médicos diferentes e jamais acredita quando os resultados são normais.
As pessoas fazem várias tentativas para acabar com os sintomas que a ansiedade provoca e nehuma delas resolve o problema porque são tentativas para acabar com os sintomas FÍSICOS que ela traz. O tempo passa o problema cresce, vem a sensação de perda do controle e isto gera mais ansiedade.
É um círculo vicioso sem fim e muito perigoso...
O problema não se resolve porque as pessoas tratam apenas dos sintomas físicos provocados pela ansiedade, quando na realidade, é preciso tratar as causas da ansiedade!!
A ansiedade é gerada pelas exigências conflitantes, pela mania de perfeição, por não querer magoar os outros, por impulsos autodestrutivos, por possuir uma auto-imagem ilusória, por medo de criticas, medo de errar, por preocupações excessivas, por atitudes e pensamentos equivocados que aprendemos a partir da infância, entre outros fatores.
Agora imagina para um gastroplastizado ter que conviver com o fantasma do medo de novamente engordar? E quando deparamos com pessoas que acham que tudo é facíl, que é só querer?
Essa mudança interna dói, é uma GUERRA...
A ajuda psicológica é primordial nesse momento.
A cada dia eu luto com essa maldita ansiedade.
Essa sou EU!!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Gordinhas na Mídia



Faculdade dos EUA recusa formatura a alunos obesos.


Uma universidade dos Estados Unidos está provocando polêmica após anunciar que vai
Em 2006, a faculdade Lincoln University, em Oxford, no Estado da Pensilvânia, havia obrigado os estudantes com IMC acima de 30 a praticar Educação Física três horas por semana. O curso inclui atividades como hidroginástica e artes amarcias.

Agora que a primeira turma está para se formar, os que não reduziram seu IMC correm o risco de não conseguirem se formar. "Cerca de 15% de nossos alunos não conseguiram um IMC menor que 30, portanto, espera-se que dezenas deles não completem o curso".

'Epidemia'

LeBoy defendeu a decisão da instituição, dizendo que "tempos drásticos requerem medidas drásticas". "Estamos em meio a uma epidemia de obesidade nos Estados Unidos, e sabemos que a obesidade se associa a doenças do coração, diabetes, acidentes vasculares-cerebrais, câncer e problemas ósseos e musculares", afirmou.

Muitos alunos vieram a público para reclamar da universidade. "O requisito do IMC é ridículo", definiu Sharifa Riley, aluna de jornalismo, "Estou perfeitamente consciente de que a obesidade está se tornando um problema, principalmente para pessoas da nossa idade. Mas os estudantes vêm à universidade para receber uma educação", disse. "Para mim, estudar durante seis anos para chegar ao final do meu curso e alguém me dizer que não posso me formar por causa do meu peso, não tem nada a ver."

Em entrevista à rede CNN, o professor de Direito David Kairys, da Universidade de Temple, também na Pensilvânia, disse que, do ponto-de-vista legal, a exigência da Lincoln parece "paternalista" e "intrusiva". "O curso de fitness deveria ser uma escolha do estudante", concluiu.


Já pensou se essa moda pega no Brasil?

Câmara libera gordos para não passar por catraca de ônibus


Se depender dos vereadores de Franca, nenhuma pessoa acima do peso enfrentará o constrangimento de ficar entalada nas catracas dos ônibus. A Câmara aprovou, projeto que desobriga obesos em geral de passar pela catraca. Não há estimativa de quantos gordinhos serão beneficiados. Para começar a vigorar, a lei ainda precisa ser sancionada pelo prefeito.

A ideia de autorizar obesos a descer pela porta da frente dos ônibus foi apresentada pelo vereador Otávio Pinheiro (PTB) no ano passado e teve sua votação adiada por duas vezes. ele diz ser usuario de ônibus e já viu algumas pessoas obesas sofrendo constrangimento, sendo envergonhadas e humilhadas ao serem obrigadas a passarem pelas catracas. Foi analisando esta situação que tomou a iniciativa de elaborar o projeto.

A lei aprovada em 03/03/2010 não isenta a pessoa obesa de pagar a passagem. O interessado terá de fazer o pagamento ao cobrador, que irá girar a catraca. Em seguida, poderá descer pela porta da frente. O vereador não calcula o número de obesos que usam o transporte público. “Não sabe precisar quantas pessoas serão beneficiadas mas, com certeza, é um número expressivo”. Durante a votação do projeto, aprovado por unanimidade, havia apenas um gordinho no plenário.

A exemplo das quatro primeiras sessões do ano, a do dia 03/03/2010 apresentou uma pauta fraca e sem matérias de apelo popular. Tirando o projeto de Otávio Pinheiro, o restante foi de autoria do Executivo. Três deles pediam autorização da Câmara para o município firmar convênios com o Estado e a União relativos à assistência social. Apesar de votar a favor, Graciela Ambrósio (PP), questionou a legalidade. “O pedido feito pelo prefeito é retroativo ao ano passado. Isto quer dizer que, ao longo deste período, ele renovou os convênios sem autorização da Câmara. O prefeito vive questionando os projetos dos vereadores, mas está cometendo um flagrante ilegal.

Vale ressaltar que isso é em Franca interior de SP.

Primeira dama tenta reduzir obesidade.


A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, iniciou um projeto para diminuir a obesidade entre crianças. A iniciativa passará pela mudança de alimentos servidos em escolas, nos playgrounds e nas visitas médicas feitas por crianças. O objetivo é eliminar a obesidade infantil em uma geração.

Com o nome de “Lets Move” (vamos nos mover), o programa estava sendo elaborado há mais de um ano. É a primeira iniciativa de grande escala da primeira-dama. A Casa Branca já anunciou que conseguiu o apoio de executivos da indústria alimentícia para reduzir a quantidade de açúcar em seus produtos.

A taxa de obesidade infantil no país triplicou nas últimas três décadas. Praticamente uma em cada três crianças está acima do peso ou é obesa. Michelle comparou seu programa com a invenção da internet e a chegada do homem à Lua. Ela afirmou que não se trata de algo genial ou um milagre tecnológico, mas algo possível de ser feito e que pode levar crianças a viverem uma vida mais saudável.


No dia 01/03/2004, saiu um decreto municipal proibindo alimentos, cigarros e bebidas perto de prédios públicos e escolas do ensino infantil e fundamental.

Em 75 dias, a cidade do Rio de Janeiro deveria ter mudado de cenário. Levantando a bandeira da guerra contra a obesidade precoce, o prefeito César Maia publicou decreto proibindo qualquer tipo de publicidade de alimentos, bebidas e cigarros no interiro de todos os prédios públicos municipais e no raio de 10 mts de extensão. No caso das 1044 escolas de educação infantil e fundamental, órgãos de desenvolvimento social, como abrigos, além das 138 unidades de saúde, a distância fixada aumenta para 200 metros. A lei também se aplica ás escolas particulares.

Outdoors com lindas mulheres oferencendo sorvetes de forma sensual deveriam ter sido abolidos também. Liberados, apenas material publicitário sobre campanha educativas que estimulem bons hábitos alimentares. O descumprimento da lei deveria acarretar, em caso de reicidência, na perda do alvará de funcionamento.

Os publicitários, prometeram provocar fortes reações. Estam estarrecido, alegando que não é assim que se combate a obesidade. Lula Vieira publicitário e conselheiro do conselho de Auto-Regulamentação comentou ainda que era mais fácil proibir a existência de gordos na cidade. Lula disse mais, que a medida será um desastre para o mercado da publicidade e que não se sustentará juridicamente: "Como fica o carrinho de sorvete da Kibon e os letreiros de bar? Essa regulamentação é maluca".

Claro que não deu certo!!

domingo, 4 de abril de 2010

Anorexia mata!!


Anorexia é um comportamento que uma pessoa apresenta em achar que está "gordo". Apesar das pessoas a sua volta notarem que o paciente está abaixo do peso, que está magro muito magro, o paciente insiste em negar, em emagrecer e perder mais peso. O paciente tem sempre um comportamento irracional de emagrecimento.
O paciente anoréxico costuma fazer loucuras para emagrecer. Além da dieta é capaz de submeter-se a exercícios físicos intensos, induzir o vômito, jejuar, tomar diuréticos e usar laxantes.
Aos olhos de quem não conhece o problema é estranho como alguém "normal" pode considerar-se acima do peso estando muito abaixo. Não há explicação para essa doença mas deve ser levado muito a sério pois 10% dos casos que requerem internação para tratamento (em hostpital geral) morrem por inanição, suicídio ou desequilíbrio dos componentes sanguíneos.

O tratamento da anorexia continua sendo difícil. Não há medicamentos específicos que restabeleçam a imagem corporal ou desejo de perder peso. Por enquanto as medicações têm sido paliativos. As mais recomendadas são os antidepressivos tricíclicos (possuem como efeito colateral o ganho de peso). Os antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina têm sido estudados mas devem ser usados com cuidado uma vez que podem contribuir com a redução do apetite. É bom ressaltar que os pacientes com anorexia têm o apetite normal, ou seja, sentem a mesma fome que qualquer pessoa. O problema é que apesar da fome se recusam a comer. As psicoterapias podem e devem ser usadas, tanto individuais como em grupo ou em família. A indicação dependerá do profissional responsável. Por enquanto não há uma técnica especialmente eficaz. Forçar a alimentação não deve ser feita de forma rotineira. Só quando o nível de desnutrição é avastador. Forçar alimentação significa internar o paciente e fornecer alimentos líquidos através de sonda naso-gástrica. Geralmente quando se chega a isso torna-se necessário também conter (amarrar) o paciente no leito para que ele não retire a sonda.


A anorexia felina não tem nada a ver com problemas de auto-imagem, como ocorre com os humanos que apresentam a doença; nos felinos, a anorexia é um sinal de fumaça –e onde há fumaça, há fogo.

“Quando um gato fica doente, a primeira coisa que acontece é a perda de apetite. a anorexia felina sinaliza problemas de saúde. “Só depois de descartadas as causas orgânicas é que se admite a causa emocional; a tristeza é por exclusão.

Praticamente todos os dias, especialistas em felinos atendem gatos com anorexia ou, mais precisamente, com hiporexia: não chegam a suspender a alimentação, mas comem muito pouco.

a anorexia felina pode perdurar de cinco dias a três semanas. Gatos são capazes de agüentar vários dias sem comer, mas a anorexia prolongada leva à lipidose hepática, acúmulo de gordura nas células do fígado, que pode provocar a morte.

Após três dias sem comida, o organismo do felino começa a quebrar as próprias proteínas para usar como energia. O processo leva à desnutrição ou à lipidose hepática, que acontece com mais freqüência em bichos obesos.

“Quando o gato entra em lipidose, fica amarelo, principalmente as mucosas da boca e dos olhos. Ele se sente enjoado, é como se tivesse comido feijoada, fica pesado, come e vomita em seguida. É preciso colocar sonda em seu estômago para alimentá-lo.

Os estímulos “involuntários” são a alimentação por meio de seringa na boca ou de sonda no estômago e o uso de medicamentos que abrem o apetite. “A partir do momento em que ele começa a ganhar 100 g por dia, o tratamento é interrompido para que ele comece a comer sozinho”.

Para motivar o gato a voltar a se interessar por atum e patê de salmão, por exemplo –o tratamento é o mesmo de um humano, através de uma sonda naso-gástrica com 8 ml de 3em 3 horas com uma alimentação que não traga mais gordula para o fígado de seu animalzinho.

Nunca passei por anorexia e acho que jamais acontecerá comigo,( conheço pessoas que infelizmente passaram por isso ), hoje estou nessa luta com minha gata que está com anorexia por muita gordura no fígado, errei com a alimentação da minha gata, mas como eu poderia saber da sua educação alimentar se eu não sabia nem da minha?

Tenho certeza que ela ficará curada e isso sevirá mais uma vez de alerta que OBESIDADE MATA!

DIGA NÃO A OBESIDADE!!

sábado, 3 de abril de 2010

Gatos obesos = Lipitose Hepática Felina.










Vcs devem estar se perguntado pq esse tópico em um blog de obesidade.
Para mostrar que até no mundo animal a obesidade é uma vilã.
A lipidose hepática felina é a doença mais comum em felinos, caracteriza-se pelo grande acúmulo de gordura no fígado do felino, resultando em graves problemas hepáticos.


A prevenção seria uma ração de boa qualidade, que custa em média r$80,00 400gr.
A obesidade e a anorexia são fatores que desenvolve com mais rapidez a doença nos felinos.
Os primeiros sinais da doença é anorexia perda progressiva de peso, depressão acompanhada do aumento dos níves das enzimas hepáticas.
Para certeza do diagnóstico é feita uma avaliação laboratorial com imagens e com biopcia hepática.
A taxa de mortalidade é de 90% e com um tratamento intensivo.

Obesidade seja ela na infância, adolescencia, idosos e até mo mundo animal é uma doença gravissima e mata.

Dizem que o animal é a caracteristica do dono, então não poderia ser diferente, minha gata está com lipidose hepática, antigamente era um pedaço de pizza pra mim, outro pra ela, foras os porres juntas. rsrs

Acho que hoje em dia até a maneira de alimentar meus bichos mudou!!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Fé e Confiança

Ando recebendo alguns e-mail de pessoas que se sentem deseperadas por não terem tido autorização do plano de saúde para gastroplastia e acreditam não terem mais esperança da tal autorização.
Recebi um e-mail que achei o mãximo:
Certa vez, um homem foi condenado de um crime que não cometeu. Ele sabia que tudo seria feito para condená-lo.
O juiz simulou um julgamento justo fazendo ao final uma proposta ao acusado:
-Vou escrever em um pedaço de papel a palavra inocente e, em um outro, a palavra culpado. Você sorteia um dos papéis e aquele que pegar será o seu veredicto.
Sem o acusado perceber o juiz escreveu nos dois papéis a palavra culpado de maneira que naquele instante não havia nenhuma chance de o acusado se livrar da forca. Não havia uma saída. Não havia alternativas para o pobre homem.
O Juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos e pressentindo a armadilha, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu.
- Mas o que você fez homem? E agora? Disse o juiz.
- Como vamos saber o seu veredicto?
- É muito fácil. Respondeu o acusado.
- Basta olhar o papel que restou e saberemos o seu contrário.
Imediatamente o homem foi libertado.
Moral da história? Por mais difícil que seja uma situação, nunca deixe de acreditar até o último momento. Para qualquer problema existe sempre uma saída.

Nunca perca seu objetivo!!!!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Coma com mais qualidade!!!!


A boa notícia é que peixe tem pouca gordura! É claro que existem algumas espécies gordurosas, mas, em geral, o peixe tem bem menos gordura do que carne vermelha e frango, e isso faz com que sua digestão seja mais rápida.
O peixe é ótimo para quem quer perder peso e controlar o nível de colesterol no sangue! Algumas espécies de peixe, principalmente aqueles de água fria, são ricos em ômega-3, que é um tipo de gordura bastante benéfica à nossa saúde.
O ômega 3 diminui o risco de doenças cardíacas, aterosclerose (endurecimento das artérias) e ajuda nas inflamações, no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas.
E, por agir nas células nervosas, o ômega-3, encontrado no peixe, ainda pode ajudar no tratamento da depressão, ansiedade e problemas de sono.
Esse tipo de gordura auxilia, ainda, no tratamento da pressão alta, na coagulação do sangue, no alivio das dores causadas pela artrite reumatóide, na proteção da pele contra raios ultravioleta e inflamações.
Por isso, o peixe é um excelente alimento para o desenvolvimento escolar de crianças e adolescentes e não pode faltar na alimentação dos idosos, já que diminui o risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer, demência e cansaço mental.
Pode ser introduzido na alimentação da criança (juntamente com carne de boi e frango) assim que esta começar a receber os alimentos complementares (em torno de 6 meses de idade), exceto se houver historia familiar de alergia a peixe. Neste caso, sua introdução pode esperar mais um pouco e, quando realizada, deve ser ofertado um tipo de peixe de cada vez e a criança ficar sob observação. Uma ótima alternativa é o cação, devido não ter espinhos. A introdução de peixe na alimentação da criança é importante, para garantir o suprimento de ferro de boa disponibilidade e proteger-lhe do risco de anemia.
Peixes Gordos: A gordura está dispersa por toda a carne e pele:
Anchova, Arenque, Atum, Cavala, Cherne, Enguia, Espadarte, Lampreia, Moréia, Salmão, Sarda, Sardinha, Sável.

Peixes Magros: A gordura está praticamente confinada ao fígado:
Bacalhau, Badejo, Carapau, Carpa, Corvina, Dourada, Garoupa, Linguado, Peixe Espada, Pescada, Pregado, Robalo, Salmonete, Tainha, Tamboril, Truta.

Os peixes têm, geralmente, mais água e menos gordura do que a carne bovina, mas o valor nutritivo das suas proteínas é idêntico. A sua gordura é, na maior parte, insaturada. Um caso curioso é o dos caranguejos, que têm uma composição semelhante à dos peixes mais gordurosos (salmão, arenque, sardinha, cavala, corvina e pargo), por isso podem incluir-se no mesmo grupo dos peixes gordos. Estes peixes gordos comparam-se às carnes mais gordurosas em relação ao seu grau de digestibilidade.

O bacalhau (peixe magro) contém apenas 1% de gordura porque armazena a gordura no fígado (o óleo de fígado de bacalhau), e a solha e o linguado são peixes com baixo teor de gordura (1 a 2 % do seu peso). No lado oposto temos os peixes gordos, como o arenque, o salmão, a sardinha, o atum e a cavala, que na altura da desova podem chegar a ter 25% de gordura.

Ovo de chocolate ( ovo de chocolate ).



Páscoa significa da escravidão pera liberdade, para nós passagem da morte para vida, para outros apenas um "feriadão". rs
Pq a simbologia do ovo? O ovo é um símbolo que praticamente explica-se por si mesmo. Ele contém o germe, o fruto da vida, que representa o nascimento, o renascimento, a renovação e a criação cíclica. De um modo simples, podemos dizer que é o símbolo da vida.Os ovos tornaram-se símbolo oficial da Páscoa e com isso oferecemos como prova de carinho Ovo de chocolate na Páscoa.
A química que ocorre entre o chocolate e o nosso prazer é especial. Tem quem o diga que chocolate vicia devido a um de seus componentes básicos, o aminoácido feniletilamina, precursor da serotonina, substância que fabricamos em situações de felicidade.
Desejo de chocolate é diferente da vontade de comer , pudim, torta ou qualquer outro doce.
Chocolate, da ao mesmo tempo que dá energia, relaxa as tensões muitas vezes de forma quase nazista, se impondo, fazendo a razão vencer o desejo.
Esse é o grande problema, chocolate é um vilão para obesidade.
Existem várias outras formas de produzirmos serotonia, o hormônio do humor, do prazer da felicidade, mas posso garantir não é o chocolate!

Feliz Páscoa sem chocolates!!!!

quarta-feira, 31 de março de 2010

Academia e Gastroplastia

Depois de muita caminhada, subidas a pé ao Alto da Boavista, engrenei numa vida de academia, rotina de musculação, elíptico no início e depois spinning (ou RPM).
Tudo chato pacas. Bom mesmo é ir ao cinema, viajar, dormir aquecido no frio, morgar na cama mais 10 minutos no frio. Enfim, assim como a civilidade, a educação e a higiene, manter a rotina de atividades físicas esta longe de ser algo natural. Demanda esforço, sair de casa. No calor é o calor, no frio o frio, com chuva nem preciso dizer. O Magnetismo do rabo aumenta diante de qquer obrigação para nosso bem estar. O lance realmente é pensar pouco, pois qdo pensamos acabamos nos aliviando destas obrigações.

É uma obviedade dizer que a maioria das academias são templos de eugenia q afastam o cara fora de forma. Um lugar em q o cara q realmente precisa estar lá é o mais rechaçado. Nos centros urbanos, não há como negar q são lugares necessários a quem precisa manter atividade física. As vezes imagino cidades médias, sem muitas opções de parques ou orlas. Anilhas e esteiras são necessárias. Há de se usa-las como remédio ou água de banho. Qquer pensamento além pode fazer vc negar a necessidade. No caso de um gordo severo, com gde capacidade de ganho de peso como eu esse luxo de não querer fazer atividade física me é vetado.

No início todo gordo é mal recebido. Ou recebido com desconfiança. É dificil deste lado, num exercício de imaginar o outro lado, fico pensando no Professor escrevendo a série de mais um "toneloso" de short apertado, tenis sem meia e camisa arrochada de um time diferente do dele. Qtas vezes vc pretende malhar por semana? 6X. MENTIRA. Já fez musculação antes? Sim, tive de parar ano passado...(e mais uma desculpa de gordo q não gosta de malhar).... MENTIRA. Vc deve saber q só academia não vai te emagrecer, vc tem uma nutricionista? Ta fazendo uma dieta? Sim, estou com acompanhamento médico, parei com pães, refrigerantes to comendo legumes, frutas e alimentos integrais. MENTIRA. E nessa anamnese o Professor escreve aquela prmeira série padrão com exercícios em máquinas, com o pedido de alongamento e 30 minutos de atividade aeróbia. O gordo pega a ficha e o Professor deve achar q vai ali mais uma desistencia. Cabe apenas saber se passa do terceiro mes.

O gordo vai ficando na academia, observa outras atividades, respira fundo e encara uma aula de spinning. Parece uma aula de pósgraduação para entregadores de pão ou de remédio. Um bando de gente numa sala, pedalando sem sair do lugar, suando em bicas com o poder de fazer sofrer mais ou menos em cima de um banquinho saliente q massacra toda a parte sul do corpinho em murchamento do gordura de côco brasil. aos poucos o gordo engrena, sua e vai saindo do zero de credibilidade.

Já engrenado, colhendo resultados do esforço antinatural de levantar ferro pra nada e pedalar para lugar nenhum, o gordo entra num metaestado de murchamento. Senão começar a se achar, manter o trabalho e a vontade com q faz as atividades semanais com exercícios e a dieta. Os resultados aparecem.

O chato é saber q qquer vacilo a banha aparece novamente. Portanto as duas horas diárias devem fazer parte d repertório tanto qto dormir, tomar banho ou a barrigada matinal.
O negócio mesmo é começar, sabendo q é chato pacas, mas q funciona e isso deve bastar. Afinal, bom mesmo é sorvete de flocos.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Lute sempre!!

Não sei se já postei essa situação aqui e também não iria ficar procurando em postagens anteriores para não ser repetitiva.
Eu qd decidi optar pela cirurgia, achei que era apenas ir ao plano de sáude pedir autorização e realizar a mesma.
Isso é apenas pura ilusão. Qd adquirimos um plano de saúde nunca pensamos nas dificuldades que encontramos nas horas que mais necessitamo ( ex. cirurgia bariatrica ), ou seja , o procedimento que mais necessitamos ê negado!!.
Qd fui pedir autorização ao plano, o mesmo me negou, mesmo eu tendo 68 de IMC, fui a ANS ( Agência Nacional de Saúde ) para saber dos meus diretos, e assim consegui uma liminar com Tribunal de Justiça do RJ.
Na data da cirurgia cheguei ao hospital com a liminar, uma advogada e o hospital não negou o atendimento que tanto necessitava realizar. Fui para o quarto, me preparei para o Centro Cirurgico qd o cirurgião chegou perto de mim e falou que não mais poderia realizar a cirurgia, pois não operava com liminar, falei ainda que se o plano de saúde não pagasse eu pagaria.
Aquele que um dia levantou a mão promentendo salvar vidas, estava naquele momento me mostrando o contrário.
Dias após me recuperar do baque troquei de plano de saúde e só fiquei com a carência de 3 meses, tempo suficiente para realizar novos exames e procurar um novo profissional se é que o primeiro posso chamar de profissional.
Hoje tenho a certeza que tudo tem seu tempo certo, infelizmente são tão poucos os projetos que conseguimos concretizar que qd surge uma oportunidade achamos que temos que concertizar naquele momento.
Lute sempre pelo seu ideal, não deixe que uma, duas, três ou mais decepções façam que venhamos a desistir de um sonho.
Tenho certeza que a vitória é certa para aqueles que realmente almejam a transformação para uma vida melhor.

Obs: Tirei o processo que coloquei contra o cirurgião, pessoa sem ética, o que vale nesse País é dinehiroooo!!

Obesidade Mata!!!!